Saúde MentalPsicologia Clínica

O que é depressão?

o que é depressão?
TRABALHE NA INTERNET

Ganhe uma renda extra trabalhando pela internet

Descubra como aumentar seus rendimentos realizando tarefas simples no conforto de sua casa. Junte-se a milhares que já estão aproveitando estas oportunidades.

Saiba mais

A depressão é uma doença psiquiátrica que afeta mais de 300 milhões de pessoas globalmente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Este guia fornece informações abrangentes sobre seus sinais, sintomas, causas, tipos, diagnóstico, tratamentos e muito mais.

O que é depressão?

A depressão, também conhecida como transtorno depressivo maior ou depressão clínica, é uma condição médica caracterizada por tristeza persistente, perda de interesse em atividades, distúrbios de apetite e sono, baixa energia, dificuldades de concentração, sentimentos de inutilidade ou culpa e pensamentos recorrentes sobre morte ou suicídio.

É uma doença bioquímica e psicológica legítima que afeta o cérebro e o corpo, não uma simples tristeza passageira. Resulta da interação complexa entre fatores biológicos, genéticos, ambientais e psicológicos.

Principais sintomas

  • – Humor triste, melancólico ou vazio na maior parte do tempo
  • – Perda de interesse e prazer nas atividades cotidianas
  • – Alterações no apetite e peso
  • – Insônia ou hipersonia quase diária
  • – Agitação ou lentidão psicomotora
  • – Fadiga e perda de energia
  • – Sentimentos excessivos de culpa e inutilidade
  • – Dificuldade de concentração e indecisão
  • – Pensamentos recorrentes de morte, ideação suicida ou tentativas de suicídio

Esses sintomas causam sofrimento clinicamente significativo e prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes.

Causas e fatores de risco

  • – Genética: histórico familiar de depressão aumenta o risco.
  • – Desequilíbrio de neurotransmissores:  principalmente serotonina, noradrenalina e dopamina.
  • – Estresse: trauma, luto, divórcio, desemprego.
  • – Doenças médicas: câncer, diabetes, doenças cardiovasculares.
  • – Fatores hormonais: tireoide, estrogenio, testosterona.
  • – Personalidade e temperamento: perfecionismo, pessimismo, baixa autoestima.
  • – Abuso de substâncias: álcool, drogas.
  • – Medicamentos: corticosteroides, beta bloqueadores.
  • – Privação do sono.
  • – Dieta inadequada: deficiências nutricionais.

Tipos de depressão

  • Depressão maior: episódios depressivos agudos que duram ao menos 2 semanas.
  • Distimia: sintomas depressivos persistentes e mais brandos por pelo menos 2 anos.
  • Depressão psicótica: ocorrem alucinações e delírios junto com o humor deprimido.
  • Depressão pós-parto: inicia nas primeiras 4 semanas após o parto.
  • Transtorno bipolar: caracteriza-se pela alternância entre depressão e mania/hipomania.
  • Depressão sazonal: ocorre em determinadas épocas do ano, mais comumente no outono ou inverno.

Diagnóstico

O diagnóstico deve ser feito por um psiquiatra ou psicólogo, e envolve:

  • – Exame do estado mental
  • – Entrevista sobre histórico médico, uso de medicações e drogas
  • – Discussão dos sintomas, incluindo duração e severidade
  • – Aplicação de questionários como Inventário de Depressão de Beck
  • – Exames físico e laboratoriais para excluir outras condições
  • – Pode ser necessário o uso de exames de imagem cerebral

Tratamentos

O tratamento envolve tipicamente medicamentos, psicoterapia e outras estratégias.

Medicamentos Antidepressivos

  • – Inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS): fluoxetina, sertralina, escitalopram, entre outros.
  • – Inibidores da recaptação de serotonina e noradrenalina (IRSN): duloxetina, venlafaxina.
  • – Antidepressivos tricíclicos: amitriptilina, nortriptilina, imipramina.
  • – Inibidores da MAO (IMAOs).

Pode levar de 2 a 4 semanas para observar melhora dos sintomas. A duração típica do tratamento é de 6 a 12 meses.

Tratamento por Psicoterapia

  • – Terapia cognitivo-comportamental (TCC): identifica e modifica pensamentos e comportamentos negativos.
  • – Terapia interpessoal: foca em resolver problemas de relacionamentos interpessoais.
  • – Psicanálise: explora conflitos inconscientes e da infância.

Outras estratégias**

  • – Exercício físico regular
  • – Redução do estresse
  • – Aumento da rede de apoio social
  • – Terapias complementares: meditação, musicoterapia, acupuntura
  • – Fototerapia
  • – Eletroconvulsoterapia: em casos graves com risco de suicídio ou sem resposta a outras terapias.

Evolução e prognóstico

Sem tratamento adequado, os episódios depressivos tendem a se repetir e piorar. O risco de suicídio é alto.

Com terapia e medicamentos corretos, 60% a 80% dos pacientes conseguem remissão dos sintomas em 6 a 12 meses. No entanto, a depressão tende a ter caráter recidivante, com taxas de recaída de 50% a 60% após o primeiro episódio e 70% a 80% após segundo episódio.

O tratamento contínuo, fazendo ajustes conforme necessário, é importante para manter a remissão a longo prazo. Alguns pacientes podem precisar de terapia e medicação indefinidamente.

Prevenção

Algumas estratégias preventivas incluem:

  • – Fortalecer rede de apoio social e familiar
  • – Praticar exercícios regularmente
  • – Dormir bem e controlar o estresse
  • – Evitar o abuso de álcool e drogas
  • – Buscar ajuda para condições médicas e transtornos psiquiátricos
  • – Fazer terapia preventiva após eventos estressantes como luto, divórcio, desemprego
  • – Em grupos de risco, usar antidepressivos preventivamente após remissão do primeiro episódio

Depressão vs Outros Transtornos

É importante distinguir a depressão de condições semelhantes:

  • Transtorno bipolar: caracteriza-se pela alternância entre depressão e mania/hipomania.
  • Esgotamento (burnout): exaustão física e emocional relacionada ao estresse crônico no trabalho.
  • Luto: tristeza dentro do esperado após uma perda significativa. Melhora com o tempo.
  • Psicopatia: ausência de empatia, egocentrismo patológico, comportamento antissocial.
  • Esquizofrenia: inclui sintomas psicóticos como delírios e alucinações.

Buscar ajuda

Caso você ou alguém próximo apresente sintomas de depressão, é importante buscar ajuda profissional o quanto antes. O diagnóstico e tratamento precoces são essenciais para a recuperação. Com o tratamento certo, apoio familiar e perseverança, é possível superar a doença e recuperar a qualidade de vida.

Shares:

Related Posts