BardDicas

Google Bard: Como utilizar a chatbot da google

google bard: como utilizar a chatbot da google
TRABALHE NA INTERNET

Ganhe uma renda extra trabalhando pela internet

Descubra como aumentar seus rendimentos realizando tarefas simples no conforto de sua casa. Junte-se a milhares que já estão aproveitando estas oportunidades.

Saiba mais

O Google Bard é a mais recente adição ao mundo da inteligência artificial e promete oferecer uma experiência interativa e informativa. Para aproveitar ao máximo essa ferramenta, é importante entender como usá-la de maneira eficiente.

Para começar, é necessário fazer login no site oficial do Bard (bard.google.com) usando sua conta do Google. Uma vez conectado, você pode enviar comandos para o chatbot, que registra um histórico de suas interações, de maneira semelhante ao ChatGPT. Se desejar, é possível apagar conversas antigas selecionando o ícone de lixeira que aparece quando você seleciona uma das conversas.

Uma das características diferenciadas do Bard em relação ao ChatGPT é a disponibilidade de cinco estilos de resposta. Você pode escolher entre respostas simples, longas, curtas, profissionais ou casuais. Isso permite que você alterne entre os estilos de resposta caso não esteja satisfeito com a maneira como o chatbot respondeu. Além disso, você pode indicar se gostou ou não da resposta tocando nos ícones “👍” ou “👎”, respectivamente.

Outra funcionalidade interessante do Bard é a capacidade de resposta por voz. Basta tocar no ícone de alto-falante e o chatbot fornecerá a resposta em áudio. Nos Estados Unidos, o Bard também é integrado ao Google Lens, permitindo que ele compreenda comandos com base em imagens. Além disso, é possível usar comandos de voz tocando no ícone do microfone. Caso queira ampliar a pesquisa, você pode direcioná-la para o Google, selecionando “Pesquisar no Google”.

É importante destacar que o Bard armazena um histórico das interações. No entanto, diferentemente do chatbot da OpenAI, o Bard não indica diretamente as fontes utilizadas para desenvolver sua resposta. Para contornar essa questão, o Google sugere perguntar ao chatbot quais bases de dados foram consultadas. No entanto, é válido ressaltar que, em respostas que não sejam 100% factuais, o Bard pode não ser capaz de fornecer todas as fontes utilizadas.

Caso deseje excluir informações pessoais armazenadas pelo Bard, é possível fazê-lo na página “Minha Atividade do Google” (myactivity.google.com/product/bard). Por enquanto, o chatbot está disponível apenas na versão para navegador, sem previsão de lançamento em mecanismos de busca.

O Bard está em uma fase experimental Apesar da expansão global do Bard, o Google o considera uma ferramenta em fase “experimental”. A empresa está aberta a receber feedback dos usuários para aprimorar o chatbot, mas não há previsão de quando essa fase experimental será encerrada. A equipe do Google revisa cuidadosamente os feedbacks para otimizar a IA e evitar problemas comuns encontrados em inteligências artificiais, como vieses preconceituosos ou respostas imprecisas.

Esses desafios são comuns em IA devido à utilização de grandes conjuntos de dados, que podem conter informações enganosas ou enviesadas. Isso também ocorre com o ChatGPT e outros modelos semelhantes. No caso específico do Bard, ele foi treinado com informações disponíveis publicamente na web, o que resultou em uma ampla estrutura de conhecimento. Portanto, é importante sempre verificar as respostas fornecidas pelo chatbot, pois pode haver momentos em que ele possa errar.

Aproveite o Google Bard como uma ferramenta complementar, lembrando que a interação com o chatbot é uma experiência em constante aprimoramento e que o feedback do usuário é fundamental para o desenvolvimento contínuo dessa tecnologia.

Shares:

Related Posts